segunda-feira, setembro 27, 2010

Dear Jack.

Jack era ágil
Jack, ele era rápido
Jack poderia saltar por cima da vela

Agora, ele se foi e eu estou queimando
Sozinho
Sim, ele se foi e eu continuo queimando, oh não

Uma linda história incompleta
Ooh, como ele me balança

Sentado na minha janela
Achando que eu vou enlouquecer
Por que você só me leva até o meio do caminho para a lua

Eu não posso superar isso, superar isso
Baby depois de ter amado Jack
Não há volta, não há volta

Jack subiu a montanha
Para buscar um balde de água, mas houve um derrame
Todos desceram rolando, oh não

Puxado para o chão pela gravidade
Será que vai continuar a ser um mistério?

Sentado na minha janela
Achando que eu vou enlouquecer
Por que você só me leva até o meio do caminho para a lua

Eu não posso superar isso, superar isso
Baby depois de ter amado Jack
Não há volta, não há volta

Uma linda história imcompleta
Ooh, como ele me balança

Sentado na minha janela
Achando que eu vou enlouquecer
Por que você só me leva até o meio do caminho para a lua

Eu não posso superar isso, superar isso
Baby depois de ter amado Jack
Não há volta, não há volta

Oh não, não, depois de ter amado Jack
Não há volta

http://www.vagalume.com.br/pixie-lott/jack-traducao.html#ixzz10lAQvc9p

sexta-feira, setembro 24, 2010

Das coisas

Para os grandes, eu penso. E viro a cabeça pra pensar em outra coisa. É mais feliz gostar, amar é pra quem pode. Mas você ou a vida ou sei lá. Insiste. E então chega enorme. E só me resta rir que nem quando vejo um bebê muito pequeno e lindo. Você ri. Vai fazer o quê? É o milagre maravilhoso da vida e eu ficando brega e cheia de medo e cheia de vontade de te contar tantas coisas e nem sei se você gosta de ouvir meus atropelos.E então fico querendo não trair a beleza. Com você sinto a fidelidade de ser tranquilo. Um pacto de paz com o mundo. Pra não me afastar de você quando estou longe. E é impossível então que os martelos do apartamento do lado sejam realmente martelos. E é impossível que as chatices do dia sejam realmente sem solução. Ainda que eu quisesse, não consigo mais nem um centímetro pra você. 
Porque ocupa coisas nossas que nem existem nos sentidos conhecidos. É como tomar água morna depois de ter engolido um filtro inteiro de água geladinha. Ninguém nem pensa nisso. De um jeito que era mesmo o que eu achava que existia. 
O guarda-chuva na mochila. As borrachinhas do aparelho no canto da carteira. Sentir isso são os trocos que você guarda pra emergência. Amar grande é gastar reservas e ainda assim ter coragem pra dar o que não se tem. Amar grande é ter vertigem no chão mas sentir um chamado pra voar. Amar grande é essa fome enjoada ou esse enjôo faminto. É o soco do bem na barriga. É mostrar os dentes pra se defender mas acaba em sorriso. É o sal que carrego no fundo falso da bolsa pra quando eu não aguentar a vida. É o açúcar que carrego junto. É tudo que pode sair do controle. E os vários travesseiros pra me dizer que pode dar certo, que já está dando certo a um tempo. É o desespero aconchegante. É a vida agora, e muito depois também.

O que sobrou de Turim

"Tudo o que guardei são flashes, sensações, segundos, milímetros, frames. Não me lembro de nomes de ruas, não me lembro de preços de entradas tampouco de sobremesas e nem dos melhores restaurantes, não quero pesquisar sobre a exposição do momento no museu do momento. Quero apenas respirar fundo, fechar os olhos e lembrar da primeira vez que pisei na Europa. Lá vou eu. 
Perguntei ao taxista porque todas as janelas tinham cortinas verde. Perguntei sorrindo, tipo criança boba que de tão feliz vê magia em banalidades. Ele fechou a cara e respondeu que Torino era o melhor lugar do mundo. Eu vi que ele usava suspensório, boina, piteira e continuei sorrindo. Típico de uma turista mezzo loira, mezzo atrapalhada, dei 100 euros pra ele achando que eram 10 e ele me perseguiu 3 quadras pra devolver o dinheiro. Saiu me xingando. Eu continuei sorrindo. 
Ia ter um show na pracinha próxima ao meu hotel. Estava uma noite quente e rapazes vestidos com uma moda que misturava a máfia italiana com a última tendência em Berlim passaram por mim falando de forma tão viva que foi como se me enfeitiçassem. Tudo era estranho demais e ao mesmo tempo quase familiar, como um filme do Fellini. 
Naquele mesmo dia, só que a noite, me sentei num banco solitário bem no centro do Quadrilátero Romano, lugar onde se concentram restaurantes, bares, lambretas, casais de namorados, tipos bizarros com botas verdes por cima de calças roxas e algumas casas de show. Falei mal de todo mundo que passava mas, acho que pela primeira vez na vida, porque eu não tinha maldade nenhuma no coração.
Era a quinta vez que eu ia ao restaurante sem nome. Apenas um desenho de um gato negro na porta. Eu não aguento mais comer! Dizia em vão. E lá vinha o “nonno” com alguma degustação de pasta, de vino, de profiterole, de sei lá mais o quê. É de graça minha filha! Manja que ta fa bene! Lembrava da minha infância."


Assim são as coisas, consideradas poucas, porem memoráveis. Este é o sentimento de quase 3 meses atrás, o qual, ainda permanece.

Fuck it

Além dos meus espinhos eu tenho também muitas flores. Descubro coisas terríveis e maravilhosas a respeito do amor. As coisas são como são. E na hora certa. 
Como diria Milan Kundera “o amor começa por uma metáfora. Ou melhor: o amor começa no instante em que uma mulher se inscreve com uma palavra em nossa memória poética”. Como diria João Guimarães “o que é doideira às vezes pode ser a razão mais certa e de mais juízo”. Como diria ou gritaria ou uivaria Robert Plant “Com apenas uma palavra ela consegue o que veio buscar.
 E ela está comprando uma escadaria para o paraíso”. As coisas são como são. Na hora certa. E foda-se. 



: )

quarta-feira, setembro 22, 2010

Sometimes I just wanna runaway from homme
Get on the bus and actilly grow, grow on me... on you, grow on us.
Can't way the time to be free and run with you on my feet.
More sad, disappointed ... without being able to actually count with someone close enough ... family.
Just disappointed...

sábado, setembro 18, 2010

"A moment, a love
A dream aloud
A kiss, a cry
Our rights, our wrongs
A moment, a love
A dream aloud
A moment, a love
A dream aloud
So stay there
Because I’ll be coming over
And while our blood’s still young
It’s so young
It runs
And we won’t stop until it’s over
Won’t stop to surrender"
— the temper trap

*-*

terça-feira, setembro 14, 2010

Wish.

Como eu queria que você estivesse aqui, deitado na minha cama, ouvindo a sua voz, esquentaqndo meu pé na sua batata da perna...

Never again

Eu calaria a boca de todos que levaram minha luz e me deixaram na escuridão. Melhor: eu cegaria os olhos desses com uma luz que eles não seriam capazes nem de chegar perto.
Dos amigos que sempre tiveram medo da minha verdade, quando deveriam, na verdade, ter medo da mentira que faz o mundo parecer tão fácil de se viver. E os faz parecer tão incríveis e eu tão estranha. Olha lá ele. Eles diriam. Quem é ele? Não parece mais ele. O cabelo tomou jeito. O pé não cai mais para dentro. O bumbum arrebitou. A voz ta diferente e deixa tudo no mistério. Ele não se escancara mais. E assim eu voltaria. Sem precisar de ninguém, sem precisar de ombros, da aceitação e das respostas de ninguém.
Eu prometi voltar. Acordei todos os dias caminhando para essa volta. Me esfreguei no banho prometendo, esperando o dia em que eu trocaria de pele e sairia voando. Ouvi músicas e vi filmes de vitória, sonhando com o dia. Decorei falas, roupas, olhares, cheiros. Mas, infelizmente, isso nunca vai acontecer. Quanto mais eu me aproximo do que seria a minha volta, mais longe eu estou de querer voltar. Quanto mais eu me recupero do que doeu tanto, menos vontade eu tenho de voltar. Esse desejo incontrolável de voltar é apenas a vida me dizendo para andar pra frente e não voltar nunca mais.

segunda-feira, setembro 13, 2010

Month

Com você sinto a fidelidade de ser tranquilo. Um pacto de paz com o mundo. Pra não me afastar de você quando estou longe. E é impossível então que os martelos do apartamento do lado sejam realmente martelos. E é impossível que as chatices do dia sejam realmente sem solução. É amor, aquele amor nascendo, que já nasceu, e está crescendo. E como cresceu nestes, apenas, dois meses.
'Acho que a gente tem que vencer. Ou lutar. E ficar bem. Feliz. Criar. Fazer. Se mexer.'



sempre meu querido Caio, sempre.
62 anos.

Think about it.

- Não vim aqui para te dizer que 'não consigo mais viver sem você'. Eu consigo viver sem você... Eu apenas não quero.


*Sorry pela falta de postagens*

terça-feira, setembro 07, 2010

Crazy

Talvez eu tenha que chamar de “mundo” esse meu modo de ser um pouco de tudo. Eu, que sem nem ao menos ter me percorrido todo, já escolhi amar o meu contrário. Eu que jamais me habituarei a mim, estava querendo que o mundo não me escandalizasse. Porque eu, que de mim só consegui foi me submeter a mim mesmo, pois sou tão mais inexorável do que eu; eu estava querendo me compensar de mim mesmo... com uma terra menos desse jeito... que eu.

Hey Dad.

Ei pai, eu estou lhe escrevendo
Não para dizer que eu ainda o odeio
Apenas para perguntar "como você se sente?"
E como nós nos separamos, como isso desmoronou. Você é feliz lá fora neste mundo grande?
Você pensa sobre seu filho?
Você sente falta da sua menininha?
Quando você deita sua cabeça, como você consegue dormir a noite?

Você ao menos se pergunta se nós estamos bem?
Nós estamos bem!
Está sendo uma longa e dura estrada sem você do meu lado
Por que você não estava lá todas as noites que eu chorei
Você quebrou o coração da minha mãe e também quebrou a vida de suas crianças.
Não é ok, mas nós estamos bem
Eu recordarei os dias onde você era um herói em meus olhos
Mas aquilo era apenas uma memoria perdida
Eu gastei muitos anos aprendendo como sobreviver
Agora eu estou escrevendo apenas para você saber que eu ainda estou vivo
Os dias onde eu passei com frio, com fome, estava com ódio
Eu era irritado
As cicatrizes são profundas dentro deste corpo tatuado
Há coisas que eu vou levar para o túmulo, mas eu estou bem, eu estou bem

Algumas vezes
Eu perdoo
E desta vez
Eu vou admitir
Ei Pai...

segunda-feira, setembro 06, 2010

Always¹

Eu sempre me apaixono por você. Todas as vezes que te vi (que te vejo) eu sempre me apaixonei por você.




Take Care.
Ele respeitava muito o meu saber, que aos seus olhos, me envolviam como uma veste consagrada, e eu fazia de modo que os numerosos buracos não fossem mais visíveis.

Certas coisas não tem preço.

quinta-feira, setembro 02, 2010

Wake me up when september ends...

... por que eu só posso estar sonhando : )

Take Care

Introducing me

I'm good at wasting time
I think the lyrics need to rhyme
And you're not asking
But I'm trying to grow a mustache
I eat cheese
But only on pizza, please
And sometime on a homemade quesadilla
Otherwise it smells like feet to me
And I, I really like it when the moon looks like a toe nail
And I love it when you say my name
If you want to know, here it goes, gonna tell you
There's a part of me for show if it glows gonna let you see everything
But remember that you asked for it
I'll try to do my best to impress but its easy if I let you take a guess set the rest
But you wanna hear what lives in my brain and my heart, well you asked for it
For your perusing, at times confusing, slightly amusing
Introducing me
I never trust a dog to watch my food
And I don't like to use the word dude as a noun or an adverb or an adjective
And I, I never really been into cars
I like really cool guitars and superheroes and checks with lots of zeros on them
I like the sound of violins and making someone smile
If you want to know, here it goes, gonna tell you

Well you probably know more than you ever wanted to
So be careful when you ask next time
So If you want to know, here it goes, gonna tell you
There's a part of me for show if it glows gonna let you see everything
But remember that you asked for it
I'll try to do my best to impress but its easy if I let you take a guess set the rest
But you wanna hear what lives in my brain and my heart, well you asked for it
For your perusing, at times confusing, hopefully amusing
Introducing me...

Unnameable

Sentimentos... podem ser tão lineares e leves, verdadeiros e crescentes; assim como enlouquecedores e tortuosos, devastadores e impetuosos. Mas sabe, por mais que possa negar, é de sentimentos que vivo constantemente, afinal, o nome do blog é 'The Voice', e isso aponta quase que exclusivamente para a 'voz' do sentimento, do fundo psicológico de um certo todo. Se observarem postagens bem antigas notaram o quanto cresci em relação a eles, o quanto penso muito antes de agir, e o quanto aprendi a esconder certos sentimentos para me proteger, como se não acontecesse, bloqueasse. Mas sou como uma bomba relógio, explodirei em determinado tempo(o qual já teve uma pequena explosão), talvez conviver com certa ideia/pensamento/sentimento(chame como quiser) seja difícil, quero dizer, enlouquecedor. Como dize, sou quase puro sentimento, me desculpem, não consigo evitar, não mais. Não depois de uma vez estar com eles a mais do que o limite da flordapele.
Por mais difícil e complicado que seja, de tudo se aprende algo(tudo), então o que me resta é aprender, aprender e aprender. Como já dize uma vez e repetirei, é questão de tempo(e espaço de certo modo) para me "acostumar"(tem como?) com certas situações. Engraçado os rumos que a vida toma - Lih deve estar rindo de minha cara onde quer que esteja(haha). - 
Sei que estaras ali para me escutar e confortar sempre que for necessário, por que acredito que será necessário novamente em certo ponto; mas só quero que saibas que não consigo evitar(e espero que entendas meu lado), pois com o passar do tempo és muito importante para mim, és tão importante a ponto de eu não conseguir imaginar certas coisas(você sabe), sem mostrar incomodo. Novamente eu lhe peço perdão, por se tão assim, sentimental, frágil. Isso só resalta o quanto me importo e gosto de você. Não se preocupe comigo querido, não me causas dor alguma, no máximo quem faz isso sou eu mesmo. Você está aqui no coração, e sempre estará.


Take care.

quarta-feira, setembro 01, 2010

Dream

"...Sei que é meio idiota, mas gosto de pensar desse jeito, e se estou em pé no ônibus solto um pouco as mãos daquela barra de ferro para meu corpo balançar como se estivesse a bordo de um navio ou de você. Fecho os olhos, faz tanto bem, você não sabe. Suspiro tanto quando penso em você, (...). Caminho mais devagar, certo que na próxima esquina, quem sabe. Não tenho tido muito tempo ultimamente, mas penso tanto em você que na hora de dormir vezemquando até sorrio e fico passando a ponta do meu dedo no lóbulo da sua orelha e repito repito em voz baixa 'te quero tanto, dorme com os anjos'. Mas depois sou eu quem dorme e sonha, sonho com os anjos. Nuvens, espaços azuis, pérolas no fundo do mar. Clack! como se fosse verdade, um beijo."

LookBook.nu

<!--BEGIN HYPE WIDGET--><script src="http://ajax.googleapis.com/ajax/libs/jquery/1.4.2/jquery.min.js" type="text/javascript"></script><script src="http://lookbook.nu/look/widget/1474853.js?include=hype&size=medium&style=button&align=center"></script><div id="hype_container_1474853"></div><!--END HYPE WIDGET-->